A História de Si-Fu Willians Correia

Si-fu Willians Correia

Nasceu em São Paulo capital em 20 de março de 1981.  Esse ano foi o ano do Galo (no horóscopo chinês). Os nativos deste signo são educados, francos, diretos e não gostam de adoçar a realidade com sonhos e fantasias. São sempre bem vindos e sabem se comunicar onde quer que vão. Descendentes deste signo  são exigentes no amor e são muito confiantes.
Nesse mesmo ano de 1981, no dia 20 de março na capital de São Paulo, nascia o pequeno Willians Correia.
Desde criança já adorava, pular, chutar, socar, por influencia dos antigos desenhos infantis, como por exemplo: Cavaleiros do Zodíaco, Jaspion, Jiraia, etc.
Mas quem mais sofria com isso era sua irmã Alexandra, (2 anos mais nova ) os dois brincavam e brigavam bastante. Mas logo o pequeno Willians teria uma forma mais adequada para extravasar sua energia. Com 8 anos de idade começou a treinar kung fu em uma academia perto de sua casa. Treinou firme por 2 anosmas a escola acabou fechando por uma série de problemas.

 

- Eu possuía até um in-fu (traje chinês) preto com mangas brancas para o treinamento marcial. Lembro-me também que uma parte da aula tinhamos que ficar parados no punho cerrado,  a garra e a força de vontade vieram desde cedo, pois eu e outro aluno sempre éramos os últimos a cair. Outro fato marcante nessa época, foi quando presenciei um combate entre a garota que dava aula e um alunos de outra academia desafiante.
Me recordo que o combate foi bem forte e técnico e que o rapaz era mais alto e bem mais forte que ela. Num certo momento a garota aplicou uma rasteira de costas o levando a “ lona”, ou seja, ali eu vi que uma boa técnica vale mais que a força e tamanho .

(Biograf. de Si-fu Willians - Arquivos da Assoc. Pak Shao Lin)

Dos 10 aos 14 anos, mesmo sem estar treinando, o pequeno Willians sentia um forte desejo de trilhar seriamente o maravilhoso caminho do kung fu.  Constantemente pedia a sua mãe para que ela encontrasse uma boa academia para ele treinar. Até que um certo dia ela encontrou!

- Era agosto de 1995, quando eu e minha mãe fomos visitar uma certa academia enfrente ao Banco Bradesco na av. Voluntários da Pátria - SP. Sem muitos rodeios e sem ao menos assistir uma aula, fui e me matriculei. Algo me dizia que era essa a escola de kung fu ideal. Precisamente no dia 26 de agosto de 1995, passei a fazer parte dessa grande família que é a Associação Pak Shao Lin de kung fu.  Animadas com minha motivação, minha mãe e minha irmã se matricularam juntamente comigo, mas não ficaram muito tempo. Principalmente minha mãe que exagerou nos treinamentos no 1º dia, ficando com o corpo todo dolorido nos dias seguintes.

<<< A academia da Pak na rua Voluntários da Pátria,
no inicio da década de 90.

   

Si-fu Willians sempre foi um aluno dedicado e perseverante no difícil caminho do kung fu. Só faltava nas aulas se fosse devido a algo muito importante. No inicio ele ficava admirado ao ver os fortes treinamentos do mestre e  dos alunos mais antigos da Pak. Percebeu logo,  que tinha um longo e difícil caminho pela frente. Mas já estava determinado a ter uma alta graduação nos exigentes padrões da Associação Pak.

- Me lembro bem da minha primeira aula na Pak. O aluno Robson (hoje meu grande amigo si-fu Robson Nobre), foi quem me ajudou com os primeiros exercícios.
Mestre Gilmar Dantas orientava os alunos mais novos para que treinassem cada golpe 10 vezes.  Chegando a um total de 100 repetições nos  golpes do 1º ao 10º. Sempre chegávamos mais cedo, eu e outros novatos. A ideia era fazer nossa série física antes, para podermos ver os treinamentos dos alunos mais antigos como: o Flávio (hoje si-fu Flávio Dantas), Bira, Luizão, Mário, Wagner, Wanderley (Gordo), Ricardo, Ira, Jorge, Robson (hoje si-fu Robson Nobre), entre outros; que treinavam juntamente com  Mestre Gilmar

<<< Mestre Gilmar treinando flexão com um braço no
punho do tigre

Eu e os outros alunos ficávamos boquiabertos com a agilidade, força, técnica e resistência física desses atletas. Pensávamos: será que um dia conseguiremos ser um terço do que eles são? Gostava especialmente das aulas aos sábados,  pois nela se reuniam todos os alunos dos períodos diurno e noturno da semana. Nesses dias o treinamento era sempre bem puxado. E como se diz, "Dávamos o sangue nessas aulas". Um fato que sempre me recordo foi quando o mestre Gilmar pediu para nos dividirmos em duplas e executar certos treinamentos. Fui até o aluno Luis Fernando (hoje aluno com alta graduação na Pak) e perguntei se ele poderia treinar comigo. Com uma cara de poucos amigos, ele me disse:

- Não! Eu já tenho parceiro de treino!

Fiquei chateado aquele dia! Mas no sábado seguinte para minha surpresa, ele é que veio até mim me convidar para treinarmos juntos. Eu também poderia ter dito não.
Mas me lembrei do que o kung fu e o Mestre Gilmar nos ensina: "ser sempre humilde, e sempre ter humildade".
Eu e o Luis Fernando nos tornamos então grandes amigos.  Já na nova academia, fomos parceiros inseparáveis; treinando como verdadeiros irmãos marciais por cerca de sete anos consecutivos. Sempre sob os cuidados no nosso grande líder Mestre Gilmar Dantas.

(Biograf. de Si-fu Willians - Arquivos da Assoc. Pak Shao Lin)                                                                                                                               

Nessa época a academia de esportes onde funcionava a Associação Pak passava por problemas financeiros, e começaram uma reestruturação. Decidiram utilizar a sala do kung fu para a musculação. Mestre Gilmar então fez uma nova parceria com uma das maiores academias de esportes na zona norte (R-White Sport Center) e a Associação Pak passou a funcionar em novo endereço.

A Associação Pak de mestre Gilmar,  sempre foi conhecida pelos fortes treinamentos desenvolvidos para lutas estilo shao lin livre. Nesse tipo de luta não se usa nenhum equipamento de proteção. Pois visa uma preparação efetiva,  para situações reais numa luta corpo a corpo. Praticamente pode-se fazer qualquer coisa num combate desses. Utiliza-se técnicas das mais variadas possíveis, incluindo-se lutas no chão com torções e imobilizações. A regra é uma só: "não há regras".

- Uma certa vez, em um combate shao lin livre, o Fernando me acertou pra valer uma técnica giratória. Foi sem querer é lógico, pois eu estava muito próximo dele no momento. Na ocasião meu olho direito ficou roxo e inchou bastante. E como o Mestre Gilmar já havia dito em sua biografia, com relação ao que sua mãe dissera quando ocorreu um fato semelhante com ele; a minha mãe também disse a mesma coisa:

- Pagando para apanhar meu filho!

 

Outro fato marcante em minha vida na Pak, foi quando recebi uma dura punição verbal por desrespeito. No começo eu era muito nervoso. Se perdesse uma luta, ficava furioso e até chorava de raiva. Certa vez numa situação dessas, joguei com força um capacete de proteção ao chão. Demonstrando minha total falta de controle. Mestre Gilmar vendo aquilo, me deu uma tremenda bronca na frente de muitos alunos que estavam ali presentes. Por pouco não fui suspenso das aulas. A partir desse dia aprendi uma grande lição: "o nervosismo não leva a nada e só piora as coisas".

Me lembro também do dia em que vi o aluno Renato Lima (hoje aluno com alta graduação na Pak), fazendo hora na academia juntamente com outro aluno. Cheguei para eles e disse:

- Pessoal!  Vamos treinar vocês só pensam em brincar e descansar.

Não sei foi isso ou outra coisa, mais a partir deste dia, o Renato se tornou um grande nome da Pak. A dupla Willians e  Fernando, se transformou em um trio de amigos inseparáveis com a chegada do Renato. Nós nos autodenominávamos, “O Trio Invencível do kung fu” (nada humildes), nome de um filme antigo de kung fu.       

Da esq. Renato, Fernando e Willians >>>

Si-Fu Willians sempre agradece a  sua mãe por toda a força que ela lhe deu para que pudesse continuar na academia. Era uma época difícil. Mesmo separada do marido e praticamente tendo que sustentar sozinha seus dois filhos menores, ela conseguia equilibrar suas contas e manter seu filho Willians na academia.
 

- Já estava na hora de  arrumar um emprego e ajudar minha mãe com as despesas. Foi nessa época que comecei a trabalhar no McDonald's. Foi um tempo muito difícil para mim,  e que exigia muita força de vontade para continuar na academia. Trabalhava das 15:00 hrs as 04:00 hrs da madrugada. Praticamente ia direto do trabalho para a academia,  e ainda tinha que treinar forte das 09 as 11 hrs. O cansaço era imenso.  Me recordo que um dia estava tão cansado que cheguei até cochilar no treinamento de abdominais.

(Biograf. de Si-fu Willians - Arquivos da Assoc. Pak Shao Lin)

Apesar de todas as dificuldades na vida familiar e pessoal, si-fu Willians nunca desanimou e continuou firme seu trajeto no mundo do kung fu,  retirando todos os obstáculos que encontrava pelo caminho. Os vários anos na academia moldaram sua personalidade e o tornaram um grande membro da Pak em todos os sentidos. Grande amigo, lutador, professor, muito querido por todos na academia e principalmente por Mestre Gilmar; que sempre acreditou no seu potencial.

- Em  2002 o Si-fu Robson Nobre me convidou para ajudá-lo como professor em sua academia (Filial 2 da Pak - Cassasp), assim começa uma nova fase para mim agora como professor efetivo na Pak. Deixei  o  McDonalds e me dediquei de corpo e alma a minha nova profissão. Acho que uma das grandes virtudes dessa profissão, e que eu adoro, é o fato de podermos mudar um ser humano para bem melhor;  através dos ensinamentos da arte marcial. Agradeço muito ao mestre Gilmar por ele ter feito isso comigo e também com outras pessoas. Muitas crianças, homens  e mulheres, foram transformados por esses ensinamentos. Nós na Pak sempre dizemos que "o kung fu prepara a mente, o corpo e a alma".

                                                                    Um dia de treinamento na filial da Pak F2 (Cassasp) >>>

O ano de 2004 foi um ano inesquecível na vida de si-fu Willians. Foi o ano de sua formatura nos exigentes padrões da Associação Pak Shao Lin. Após 9 anos de duros treinamentos na academia, si-fu Willians finalmente consegue a sua tão sonhada e merecida graduação com a camisa preta. E isso ocorreu no dia 20 de agosto de 2004.

- 2004 foi um ano muito marcante em minha vida devido a minha formatura na Pak. E para tornar esse ano ainda mais especial, tive a felicidade de me formar juntamente com si-fu Flavio Dantas. Outro grande companheiro da academia.  No entanto esse  também foi um ano que tive um sério acidente durante um treinamento. E nunca vou esquecer isso!  Tinha resolvido que faria o meu exame para a camisa preta por volta do mês de junho daquele ano. Estava treinando duramente para esse momento, pois sabia como são difíceis os testes.

 

<< Si-Fu Willians Correia, na festa de formatura recebendo seu diploma  das mãos de mestre Gilmar Dantas

Mas precisamente no dia 05 de março resolvi treinar um pouco de acrobacias com salto mortal de costa. Os exames na Pak não exigem que o aluno realize saltos acrobáticos,  mas eu gostava de treinar por vontade própria. Infelizmente errei o salto e cai batendo fortemente a cabeça no chão. Fiquei desacordado e tive cinco convulsões. Fui parar na UTI do hospital das clinicas. Quando acordei no hospital a primeira coisa que me veio a mente era tentar lembrar os katis e as técnicas da academia. Estava no meu ano de formatura e me preocupava muito com isso. Quando voltei para casa tomava fortes remédios para dor de cabeça e eles me deixavam devagar nas ações e não conseguia andar direito. Graças a Deus com o tempo tudo acabou bem e não fiquei com nenhuma sequela. Sempre vou lembrar do grande apoio que meus familiares e meus amigos da Pak, me deram nesse momento delicado da minha vida.

Certo dia, quando tinha somente 8 meses de academia, mestre Gilmar me disse:
- Willians! Você vai querer um dia se formar, dar aulas e ser um grande professor?

E eu disse:
- Sim mestre Gilmar, com certeza eu quero.

E ele disse:
- Então continue assim treinando forte e com vontade!

E hoje eu digo:
- Obrigado por tudo Mestre, e pretendo sim ser não só um grande professor, mas um inesquecível Grão mestre. Muito honrado estou, em fazer parte dessa família de nobres e grandes homens que através dos séculos vem trabalhando para melhorar o ser humano através do kung fu.

(Biograf. de Si-fu Willians - Arquivos da Assoc. Pak Shao Lin)

 

 

Si-fu Willians Correia é hoje um grande professor na nossa Associação. Seguindo os ensinamentos de seus mestres superiores, é homem honrado e disciplinado. Desenvolve seu trabalho de forma séria, dedicada e competente. Participou e foi campeão em vários campeonatos importantes de kung fu e artes marciais. Sempre nos representou com grande brilhantismo nesses eventos.  Considera a academia como seu segundo lar e sua segunda família. Pretende continuar seu trabalho como professor e futuramente mestre, pelo resto de sua vida.

Arquivos da Associação Pak Shao Lin de Kung Fu - Abril de 2007